• Simone Mior

06 Diferenças entre ansiedade Normal ou Patológica.


As últimas pesquisas divulgadas sobre ansiedade, indicam que cerca de 9,3% dos brasileiros sofrem com os transtornos da ansiedade. Esse índice é 3 vezes maior que a média mundial, isso, segundo a OMS (Organização Mundial da saúde). Esses estudos apontam ainda, que entre as crianças e adolescentes o índice pode chegar aos 10%. Ou seja, 18,6 milhões (isso mesmo - milhões) de brasileiros sofrem com a ansiedade.

Diversos fatores podem gerar a ansiedade, desde a desigualdade social; a pobreza; os traumas de infância; as cobranças em períodos de provas, exames e vestibulares; a agenda de crianças demasiadamente cheia, sem tempo para brincar (sem tempo para só ser criança); os conflitos familiares; etc.

Existem sintomas físicos ou emocionais e sinais que mostram quando uma pessoa está sofrendo com os transtornos da ansiedade, entre diversos podemos destacar: roer as unhas; balançar o corpo ou uma parte dele enquanto conversa; dores pelo corpo sem causa aparente; isolamento social; taquicardia; suor exagerado; alterações nos traços da personalidade; compulsões; entre outros...

A principal característica da ansiedade é o pensamento focado no futuro. No que um dia poderá (ou não) acontecer. Importante lembrar que a ansiedade é natural ao ser humano e, que o problema não está na preocupação com o futuro. O X da questão está no excesso da preocupação. É quando esses pensamentos ocupam a maior parte do seu tempo.

Mas, como perceber que a linha que divide a normalidade da patologia está sendo ultrapassada?Confira as 06 diferenças listadas:

01– A ansiedade faz parte do repertório de emoções do ser humano. Ela serve, assim como o medo, para nos alertar sobre algum risco iminente, por exemplo.

02 – É considerada saudável quando eventualmente nos coloca em situação de alerta e faz com que tomemos atitudes que possam prevenir danos.

03– A ansiedade torna-se um transtorno quando ela causa limitações à vida da pessoa.

04– Preocupações excessivas, que chegam a comprometer a qualidade do sono e até provocar taquicardia, podem ser sinais de distúrbios de ansiedade.

05– Pensamentos negativos constantes e sensação de medo sem motivo real podem indicar que algo está mal. Uma das manifestações mais comuns dos distúrbios de ansiedade são os transtornos do pânico, nos quais a pessoa se imobiliza diante de situações que não representam risco real.

06– A fobia social, que envolve dificuldade de se relacionar com as pessoas e encarar públicos, é um distúrbio de ansiedade.

E quando você perceber que a situação está fugindo do aceitável, algumas dicas com certeza lhe ajudarão a assumir o controle da situação:

– Preste atenção no pensamento negativo. Escute o que ele tem a dizer e observe se está dimensionado de acordo com o que você realmente vai enfrentar. Depois, mentalmente, mande-o embora.

– Atenção à respiração. Num momento de muita ansiedade, pare e respire profundamente três vezes. Isso ajuda a aliviar tensões e a retomar o foco no presente.

– Treine a gratidão. Observe o aqui agora em vez de focar as preocupações no futuro e em fatos que sequer têm chances reais de acontecer. Agradecer a si mesmo o presente ajuda a valorizá-lo.

– Se está difícil desabafar angústias, escreva. Projetar no papel colabora para organizar o pensamento.

Lembre-se sempre, que a ansiedade na medida certa é benéfica. O exagero que gera o sofrimento, e este pode ser controlado.

Você manda na sua mente. Assuma o controle.

Fonte consultada: https://gauchazh.clicrbs.com.br/saude/vida/noticia/2017/03/saiba-por-que-os-brasileiros-sao-os-mais-ansiosos-do-mundo-9750651.html

#Ansiedade #Medo #Pânico #Rsepiração

17 visualizações
  • Facebook
  • Instagram

Simone Mior
Espaço Terapêutico

Runas da Praia
Rua 401, 45 Sl. 01
Centro - Balneário Camboriú - SC

(47) 99914-8052 .